PSD toma nota do descontentamento em relação a nova etar

No curto período de funcionamento, após a cerimónia de inauguração, a nova ETAR do Vale de Arouca tem provocado muita contestação junto dos residentes do lugar da Ribeira e de quantos têm constatado o mau cheiro intenso no local. Para conhecer, de uma forma mais próxima, este problema, a Comissão Política Concelhia do PSD visitou o local, durante a manhã do passado sábado, dia 17 de Julho.

«Conversámos com alguns residentes e constatámos, de facto, algumas complicações. O intenso mau cheiro é, de facto, notório, mas existem outras preocupações que têm que ser explicadas», afirmou André Almeida, novo líder social-democrata arouquense. A hipótese de falhas na alimentação eléctrica na estação elevatória anexa à ETAR é outra das preocupações dos residentes, que temem uma descarga directa, no caso deste equipamento acessório não poder funcionar.

«Iremos, através dos nossos vereadores na Câmara Municipal, averiguar, na próxima reunião do Executivo, desde quanto está a ETAR a receber o esgoto, que acompanhamento técnico tem tido aquela obra e até mesmo se a Câmara já está na posse da chave do equipamento», acrescentou André Almeida.

A nova ETAR, inaugurada no final do mês de Junho, foi apresentada pelo presidente da Câmara Municipal de Arouca como «um passo de gigante» na melhoria do saneamento do município, corporizando um investimento na ordem dos dois milhões de euros, englobando a construção de uma estação elevatória e de um emissário. Segundo dados da autarquia, esta ETAR serve as freguesias de Arouca, Burgo, Chave, Rossas, Santa Eulália, Urrô e Várzea.