PSD foi conhecer de perto o trabalho da Casa do Povo de Arouca

António Teixeira, presidente da Direcção da associação, na companhia do seu Vice-Presidente Manuel Duarte, receberam os sociais-democratas, a quem deram a conhecer, com detalhe, a história recente da associação. Do desporto à cultura, à formação e às actividades recreativas, têm sido muitos os êxitos alcançados pela Casa do Povo de Arouca, que se defronta também com as habituais dificuldades do movimento associativo. Apesar disso, foi notório que projectos não faltam a esta associação.

Um dos aspectos mais salientes da actual gestão é o facto de continuar sob a tutela da Casa do Povo uma importante infra-estrutura: o pavilhão gimnodesportivo, que, durante várias décadas, foi o único equipamento deste tipo em todo o concelho. Aliás, como foi sublinhado pela Direcção, o pavilhão serve ainda os alunos da Escola EB 2,3 de Arouca, bem como uma grande parte das associações concelhias, que aí desenvolvem as suas actividades desportivas.

Das actividades regulares da Casa do Povo de Arouca, foram dadas a conhecer com mais enfoque alguns eventos culturais que já vão sendo marcantes, como por exemplo a Feira à Moda Antiga, o Festival Etnográfico ou o Encontro de Concertinas.

Mas é na formação que reside a grande aposta da Casa do Povo. O rancho folclórico infantil e a escola de concertinas são já actividades com resultados consistentes, o que se verifica com a enorme juventude da maioria dos associados.

Do lado do PSD, foi reconhecido o exemplo que a Casa do Povo corporiza no que concerne à gestão de recursos (financeiros e infra-estruturais). Depois de conhecer os mecanismos de apoio a esta associação, face ao plano de actividades e à cooperação que a Casa do Povo estabelece com a autarquia, o PSD não deixou de sublinhar que os actuais critérios com que o Município reconhece, através do seu subsídio, a actividade associativa, deverão ser mais rigorosos, mais coerentes e sobretudo mais justos.

Face ao reconhecimento desta situação, o PSD não deixou de sublinhar que defende o estabelecimento por exemplo, de contratos-programa, claramente definidos, com as colectividades concelhias, no sentido de potenciar a preservação do património etnográfico e das tradições, bem como o envolvimento da população nas actividades festivas e lúdicas que contribuam para essa preservação. Simultaneamente, ficou vincada a posição dos sociais-democratas de que se deve privilegiar a presença dos grupos locais nos palcos nobres do concelho, durante os eventos culturais e recreativos realizados em Arouca.