Está na Hora de MUDAR!

Portugal é hoje um País sem rumo nem projecto, incapaz de cumprir, por si só, os compromissos que assumiu para com os seus credores, um País com o pior crescimento económico e a maior taxa de desemprego dos últimos 90 anos, um País com a maior dívida pública do último século e meio, um País com o maior êxodo migratório de jovens qualificados, um País com uma Justiça caótica, um País visto com desconfiança pelos seus parceiros e de mão estendida na cena internacional: esta é a "herança” que nos deixa o Governo Socialista.

Mas para além das consequências gravíssimas no domínio das finanças públicas, no domínio social, o PS só tem sabido cortar. Cortou no abono de família, cortou no subsídio de desemprego, cortou nas pensões e nas reformas, cortou na comparticipação dos medicamentos, enquanto que na despesa inútil do Estado, nos institutos e fundações, nas frotas, nas mordomias dos administradores e gestores, aí, o PS não soube cortar.

É notório que aqueles que nos trouxeram à presente da situação não têm quaisquer condições e qualquer credibilidade para dela nos retirarem. Continuar pelo mesmo caminho seria conduzir o País, a um beco sem saída.

Portugal tem de mudar. E, para isso, tem de restaurar a credibilidade da governação. De reconquistar a credibilidade financeira externa. De ser capaz de proteger o Estado Social. De voltar a crescer. De criar emprego em clima de coesão e solidariedade sociais.

O momento que atravessamos não é um momento qualquer. Porque está em causa mais do que uma simples gestão governamental. Este momento tem de ser uma escolha que aponte caminhos correctos. Que aposte em soluções credíveis. Que dê aos Portugueses um sentido de esperança no futuro. É esta a esperança de que também os Arouquenses precisam.

Não é necessário prometer nem vender ilusões. Os Arouquenses estão sauturados de discursos, promessas e ilusões. Não são necessárias mais palavras. Não é de palavras que temos défice. Temos défice é de ser consequentes com as palavras. Está na altura de mudar.

É por esse objectivo, por um Portugal coeso e desenvolvido de forma justa e equilibrada que queremos trabalhar. A mudança começa agora. Connosco. Com Pedro Passos Coelho. Consigo.

André Almeida