Câmara chumba propostas do PSD sobre redução dos impostos aos arouquenses

No passado dia 6 de setembro, o Executivo Municipal discutiu as taxas a aplicar aos contribuintes e empresas no concelho de Arouca. Nesta reunião, os vereadores do PSD votaram contras as propostas apresentadas pelo PS, que cifram a taxa máxima a retirar aos arouquenses no IRS e que nao apresentam incentivos à criação e fixação de novas empresas.

Considerando que nos últimos anos os portugueses têm sido sobrecarregados com impostos, nomeadamente com a taxa de IRS, que se traduz numa maior arrecadação de receita, defendemos uma redução da taxa para 3%, contrariamente à proposta de subida para a taxa máxima apresentada pelo Executivo”, justificaram os veredadores do PSD José Luís Alves e Fernando Peres. Neste seguimento, estes vereadores apresentaram uma proposta de redução do peso do IRS para os arouquenses, a qual não mereceu apoio por parte da Câmara, que se decidiu pela aplicação da taxa máxima. Estes fundamentos serviram para que a maioria social-democrata reprovasse, na Assembleia Municipal realizada no passado dia 27, a proposta dos socialistas.

No que se refere à derrama, o PSD apresentou propostas com vista à captação de novas empresas, como por exemplo a possibilidade de isenção desta taxa durante um período de três anos para novas empresas que tenham um mínimo de três funcionários. Para as empresas com um volume de negócios superior a 150.000€,a Câmara cifrou a taxa em 1%, proposta que mereceu o voto contra dos vereadores do PSD, que apresentaram uma proposta de redução para 0,75% nesse escalão. No caso das empresas com volume de negócios abaixo dos 150.000€, a proposta para uma taxa mais baixa (0,5%) foi aprovada. No caso do IMI, foi unanimemente aceite a proposta de aplicação da taxa mínima. 

Rui Vilar, líder do PSD Arouca, refere que acha “estranho que um município que várias vezes se autoproclama como um exemplo de saúde financeira, não se coíba de ir aos bolsos dos arouquenses e aplique as taxas máximas. Talvez possamos concluir que tal saúde financeira é alcançada às custas do dinheiro dos contribuintes e não fruto da proclamada boa gestão financeira”. O líder social-democrata lamenta “esta situação que já se verifica há vários anos, com o PS a chumbar as propostas de redução de impostos feitas pelo PSD, sempre com prejuízo para a população de Arouca.”