Apresentação oficial dos candidatos autárquicos decorreu este sábado «Todos conseguimos», assegurou José Luís Alves

A Comissão Política da Secção de Arouca do PSD apresentou hoje os seus candidatos à presidência da Assembleia Municipal e Câmara Municipal de Arouca: Dr. Elísio Brandão e Prof. José Luís Alves, respetivamente.

Numa apresentação pública que encheu o Cine-Estúdio dos Bombeiros Voluntários de Arouca e que contou com a presença do secretário-geral do PSD, José Matos Rosa, os representantes locais do partido asseveraram a confiança na aposta feita nos dois candidatos independentes.

José Artur Gomes, presidente da Comissão Política do PSD Arouca, destacou «o empenho e vontade que foi demonstrada pelos candidatos, realçando sempre o desígnio do serviço à comunidade.» O líder concelhio deixou ainda a certeza de «uma governação feita de decisões pensadas, assertivas e transparentes, uma governação de prioridades e escolhas acertadas», potenciada pelo «espírito de missão e serviço à população de Arouca que os candidatos reúnem».

Para Tiago Mendes, líder da Comissão Política da JSD Arouca, os candidatos «merecem toda a confiança da juventude de Arouca, não só pela sua forte ligação à massa estudantil, mas também por reunirem todas as características necessárias para um mandato de sucesso». O líder da juventude deixou claro que «a JSD Arouca deseja uma verdadeira política de juventude, em que os jovens sejam ouvidos e em que seja estimulada a sua participação cívica activa, como por exemplo com a criação do Conselho Municipal da Juventude, que o Eng. Artur Neves se recusa a criar». Criticando a falta de aposta do atual edil camarário, Tiago Mendes mencionou ainda que «tudo parece impossível até que seja feito», crendo que esta é a candidatura da mudança do paradigma instalado.
A intervenção de José Matos Rosa foi o consagrar dos elogios feitos à candidatura social-democrata. Nas palavras do secretário-geral do PSD, estes são os «candidatos certos para lutarem por uma Arouca melhor», reconhecendo porém que «será uma luta difícil, mas gratificante». Traçando o panorama geral do estado do país e transpondo-o para a realidade de Arouca, José Matos Rosa anteviu uma «liderança mais solidária e mais inclusiva dos jovens».

Elísio Brandão, candidato à presidência da Assembleia Municipal de Arouca, realçou que o lema que o conduz nesta candidatura é “Servir Arouca”. Após ter recusado vários convites de âmbito regional e nacional, Elísio Brandão confessa que resolveu «de forma natural prestar este serviço à comunidade arouquense, o qual é uma honra», garantindo desempenhar o cargo a que se propõe com «toda a humildade» e «sem procurar protagonismos fáceis ou demagogias».

Por último, interveio José Luís Alves, candidato à presidência da Câmara Municipal, que afirmou que é «fundamental que todos se revejam na candidatura, não por falsas promessas, mas pelas propostas sérias apresentadas», realçando que «todas as pessoas são bem-vindas nesta candidatura inclusiva.»

Quanto à chamada ‘mãe de todas as obras’ de Arouca – a chamada Via Estruturante – José Luís Alves é claro: «Não prometo a Variante; o que prometo é, juntamente com a união das forças de todos, onde não posso deixar de incluir o Dr. Elísio Brandão pelos excelentes relacionamentos que possui, lutar até à exaustão das minhas forças para que a Variante seja uma realidade», reforçando que «a conclusão da Variante, mais que um desígnio dos arouquenses, é um direito!». Direito este que, segundo o candidato, «não viu quaisquer desenvolvimentos em oito anos: zero quilómetros feitos!»

José Luís Alves não deixou também de referir a ineficácia da ação política da Câmara Municipal. A título de exemplo, abordou o problema do rio Agualva e a «sua elevadíssima contaminação com bactérias», problema para o qual tem vindo a alertar a autarquia, que tem ignorado este assunto. A falta de saneamento básico também não passou despercebida no discurso do candidato, que criticou o atual Executivo por não se preocupar com estas obras por estas «não encherem o olho aos eleitores».

A falta de estratégia norteadora na aposta feita no turismo foi outro dos pontos abordados, com José Luís Alves a denominar o turismo que é feito em Arouca como «turismo de garrafão: os turistas vêm a Arouca mas não existe retorno económico para o município».

José Luís Alves garantiu ainda que será o impulsionador de uma aposta clara na agricultura e na atividade florestal, pretendendo para este efeito «concertar esforços com as entidades arouquenses ligadas a estes campos» e «promover novos tipos de cultura». Não deixou também de criticar a falta de planeamento estruturado para a Proteção Civil concelhia, facto este que se nota de forma acentuada nos meses de maior calor, com os incêndios florestais.

A educação, o turismo, o ambiente, a empregabilidade, as políticas de juventude do município, o estado da saúde em Arouca e o desenvolvimento desigual das freguesias foram outros dos pontos abordados pelo candidato social-democrata à Câmara Municipal de Arouca, num discurso marcado pelo lema da campanha: «O nosso destino é Arouca, O nosso destino é Vencer!»